Pedindo para se corrigir de um defeito


Vós nos destes, Senhor Deus, a inteligência necessária para distinguirmos o que é bom do que é mau; ora, desde que reconhecemos que uma coisa é má, tornar-nos-emos culpados se não nos esforçarmos para resistir-lhe.

Preservai-nos do orgulho que nos impede de conhecer nossos defeitos, e dos maus Espíritos que nos podem incitar a perseverar neles.

Entre as nossas imperfeições, reconhecemos que somos particularmente inclinados ao orgulho e se não resistimos a essa inclinação, é pelo hábito que contraímos de a ele obedecer.

Vós não nos criastes culpados, pois que sois justo; criaste-nos, sim, com igual aptidão tanto para o bem como para o mal; se trilharmos o mau caminho é por efeito do nosso livre arbítrio. Se temos a liberdade de fazer o mal, temos também a de fazer o bem, e, por conseguinte, a de mudar de caminho.

Nossos defeitos atuais são os restos das imperfeições que trouxemos de existências precedentes, das quais poderemos nos desembaraçar pela nossa vontade e com o auxílio dos bons Espíritos.

Bons Espíritos que nos protegeis e sobretudo vós, nossos Anjos da Guarda, dai-nos a força de resistir às más sugestões para sairmos vitoriosos da luta.

Nossos defeitos são os empecilhos que nos separam de Deus, e cada defeito domado é um passo dado no caminho do progresso, que Dele nos aproximará.

O Senhor, na sua infinita misericórdia, dignou-se conceder-nos a existência atual para auxiliar o nosso progresso; bons Espíritos, ajudai-nos a tirar proveito dela a fim de que não nos seja infrutífera, e que, quando aprouver a Deus fazê-la cessar, possamos dela sair melhores do que quando para ela viemos.

Livro: Preces Espíritas
Autor: Cairbar Schutel

Pedindo para se corrigir de um defeito

Pedindo para se corrigir de um defeito

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*