Os sinais de Deus


Isabelita me conta a seguinte lenda:

Um velho árabe analfabeto orava com tanto fervor,

todas as noites, que o rico chefe de grande caravana

resolveu chamá-lo:

-“Por que oras com tanta fé? Como sabes

que Deus existe, quando nem ao menos sabes ler”?

-“Sei ler, sim senhor.

Leio tudo que o Grande Pai Celeste escreve”.

-“Como assim?”

O servo humilde explicou-se:

-“Quando o senhor recebe uma carta de pessoa ausente,

como reconhece quem a escreveu”?

-“Pela letra”.

-“Quando o senhor recebe uma jóia,

como sabe quem a fez?”

-“Pela marca do ourives”.

-“Quando ouve passos de animais, ao redor da tenda,

como sabe se foi um carneiro, um cavalo um boi”?

-“Pelos rastros” – respondeu o chefe,

surpreendido com aquele questionário.

O velho crente convidou-o para fora da barraca

e mostrou-lhe o céu.

-“Senhor, aquelas coisas escritas lá em cima,

este deserto aqui embaixo, nada disso

pode ter sido desenhado ou escrito

pelas mãos dos homens”.

“As coisas mais simples da vida

são as mais extraordinárias,

e só os sábios conseguem vê-las.”
Autor: Paulo Coelho

Os Sinais de Deus

Os Sinais de Deus

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*