O Espiritismo e outras doutrinas Espiritualistas


1a Aula – O ESPIRITISMO E OUTRAS DOUTRINAS ESPIRITUALISTAS

Parte A – ESPIRITUALISMO E ESPIRITISMO

O espiritualismo é o oposto do materialismo, e qualquer um que acredite ter em si algo além da matéria é espiritualista.

Para designar a crença nos Espíritos, e assim, evitar equívocos futuros, Kardec usou as palavras: “Espírita” e “Espiritismo”.

A Doutrina Espírita ou o Espiritismo tem por principio a relação do mundo material com os Espíritos ou seres do mundo invisível. Os adeptos do Espiritismo são os espíritas.

Assim o Espiritismo não tem como prática: rituais, uso de incensos, imagens ou objetos materiais. Esta consolidada em um tríplice aspecto:

  • CIÊNCIA, por estudar a luz da razão e dentro de critérios científicos todos os fenômenos considerados estranhos;

  • FILOSOFIA, por trazer uma interpretação própria da vida – toda doutrina que dá uma concepção própria do mundo é uma filosofia;

  • RELIGIÃO, por ter como objetivo a transformação moral de cada criatura, amparados nos divinos ensinamentos de JESUS.

MARCO FUNDAMENTAL DA CODIFICAÇÃO FOI O LIVRO DOS ESPÍRITOS

Publicado pelo educador francês Hippolyte Léon Denizard Rivail, em 18 de abril de 1857, sob o pseudônimo Allan Kardec. Esta obra é o alicerce do espiritismo, e foi lançado por Kardec após seus estudos sobre os fenômenos que, segundo muitos pesquisadores da época, possuíam origem mediúnica, e estavam difundidos por toda a Europa durante o século XIX. Apresenta-se na forma de perguntas e respostas, a primeira edição, datada de 1857 continha 501 perguntas e no mesmo ano revisado totalizando 1.019 perguntas. Foi o primeiro de uma série de cinco livros codificados pelo pedagogo.

Em ordem cronológica segue:

O LIVRO DOS MEDIUNS (1861): (Mundo Espírita ou dos Espíritos) – analisa a noção de Espírito e toda a série de imperativos que se ligam a esse conceito. A finalidade de sua existência, seu potencial de autoaperfeiçoamento, sua pré e sua pós-existência e ainda as relações que estabelece com a matéria.

O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO (1864): (Das leis morais) – aborda os ensinamentos morais de Jesus Cristo, aos quais estaria submetida toda a Criação.

O CÉU E O INFERNO (1865): (Das esperanças e consolações) – esclarece ponderações acerca do futuro do homem, seu estado após a morte, às alegrias e obstáculos que encontra no além-túmulo.

A GÊNESE (1868): (As causas primeiras) – abordando as noções de divindade, Criação e elementos fundamentais do Universo.

PRINCÍPIOS BÁSICOS DO ESPIRITISMO

  • A Crença em Deus.

  • A Imortalidade da Alma.

  • A Reencarnação.

A encarnação dos Espíritos se dá sempre na espécie humana; seria um erro acreditar que a alma ou o Espírito pudesse encarnar no corpo de um animal.

Pela reencarnação, nas sucessivas existências, mediante os seus esforços e desejos de melhoria no caminho do progresso, o homem avança sempre e alcança a perfeição, que é a sua destinação final.

A vida do Espírito se compõe, assim, de uma série de existências corporais, e cada uma delas é uma ocasião para o seu progresso.

  • A Pluralidade dos Mundos Habitados.

  • A Comunicabilidade dos Espíritos.

BIBLIOGRAFIA:

KARDEC, Allan – O Livro dos Espíritos – questões: 189 a 196, 610, 611, introdução: itens I, VI e VII, questões, 172 a 188

AMORIM, Deolindo – O Espiritismo à Luz da Crítica – Cap. II.

PIRES, José Herculano – Agonia das Religiões – cap. II, cap. 10 – Magia e Magnetismo.

EMANNUEL, Palavras de Emmanuel- n. 83.

Parte B – PARÁBOLA DO TRIGO E DO JOIO

“Certo homem semeou boa semente de trigo no seu campo.

Porém, à noite, enquanto dormia, veio o inimigo e semeou joio no meio da plantação.

Quando o trigo cresceu, o joio também cresceu.

Os empregados foram contar ao patrão e se ofereceram para arrancar o joio e deixar somente o trigo.

Mas o dono disse: “Não façam isso. Se vocês arrancarem o joio, podem acabar arrancando algum trigo também; deixem que cresçam juntos até à época da colheita. Assim foi feito colheram, primeiro o joio e o queimaram, o trigo foi recolhido ao celeiro”.

Jesus foi quem que semeou a boa semente visando o progresso da humanidade. O Campo simboliza o mundo.

O trigo, as almas boas, e o joio , as más que nos testam, tentando atrapalhar nosso crescimento espiritual. A colheita significa o final dos tempos.

Cada um de nós age conforme o livre arbítrio, segundo nosso desejo nos tornando bons ou maus.

O joio simboliza a criatura má, que em nada crê, que por orgulho e egoísmo não se modifica.

Baseado nessa imagem, Jesus desaconselha a destruição, ao contrário, nos convida a transformação de sentimentos inferiores em virtudes. É preciso esperar que a evolução se faça.

O homem mau, ainda que resista, pode, um dia, tornar-se bom.

BIBLIOGRAFIA:

SCHUTEL, Cairbar – Parábolas e ensinos de Jesus.

Novo Testamento – Mateus: cap. 13, 24-30 e 13 36 a 43.

Godoy, Paulo Alves – As maravilhosas parábolas de Jesus.

Mallet, Marina – Um sentido para sua vida.

Link: http://www.novodespertar.com.br/espiritismo/o-espiritismo-e-outras-doutrinas-espiritualistas

allan-kardec - Curso Básico de Espiritismo

allan-kardec – Curso Básico de Espiritismo

Confira a lista completa: http://www.novodespertar.com.br/espiritismo/curso-basico-de-espiritismo/

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*