Merecimento está ligado a causa e efeito


Merecimento está ligado a causa e efeito
São José do Rio Preto, 4 de outubro de 2009

Francine Moreno

Constantemente, nos perguntamos o motivo de passarmos por determinadas situações. A verdade é que coisas boas da vida devem ser conquistadas. Viver bem, então, não é uma questão de sorte, mas de merecimento. Jesus abordou de modo claro e sintético a questão do merecimento ao afirmar: “A cada um, segundo suas obras”. O filósofo grego Aristóteles deixou claro o seu poder no pensamento: “A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las”. Ou seja, a fé em Deus não dispensa o esforço individual para obter o que se deseja. Neste cenário, o merecimento é o cumprimento da justiça, entregando nas mãos daquele que fez jus à cota que lhe pertence. O trabalhador, pelo direito, recebe o que merece. “Pela lei de causa e efeito obtém o retorno de cada pensamento, palavra, expressão de sentimento ou ato praticado. Resumindo, a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória”, afirma o escritor Wilson Czerski, presidente da Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná.

Merecimento está ligado aos esforços que são empreendidos para a melhora física, psíquica, moral e espiritual. Para a psicóloga Márcia Barroso, é possível enxergar em todos esses campos esforços concentrados em diferentes lugares para se alcançar melhorias. São grupos diferentes, em lugares diferentes, porém, trabalhando ao mesmo tempo, com o mesmo propósito e por conta desse foco em buscar o bom, o belo. Assim, na medida que compreendamos que não existe o erro, que tudo não passa de aprendizado, nossas culpas começam a sumir no ar. Na mesma medida, se decretamos abundância, é isso o que teremos.

Para o advogado Miltermai Ascêncio Sanches, membro da Associação de Divulgação da Doutrina Espírita, sem esforço ninguém avança degraus. “Afiançamos que a questão do merecimento está diretamente ligada aos débitos do passado, como aos esforços que estamos empreendendo para nos melhorarmos”. Neste cenário, os maiores merecedores são aqueles que produzem resultados para si e principalmente para os outros. “Uma vela acesa numa noite escura, vale mais do que aquele lustre de pedras brilhantes e acabamento em ouro que se encontra apagado”, exemplifica Sanches. Leia abaixo a opinião de Márcia Barroso sobre o tema.

Diário – O que é o merecimento?
Márcia Barroso – Merecimento vem do latim, obter, e tem a ver com esforço pessoal. Todos nós fomos gerados por uma inteligência suprema, causa primária de todas as coisas, que chamamos de Deus. Estamos submetidos às mesmas leis naturais ou divinas. As leis são iguais para todos e regem a vida de todos, porém, alguns se esforçam mais em obter resultados e isso se configura em merecimento, direito adquirido.

Diário – Quem são os maiores merecedores?
Márcia – Merecimento tem a ver com ação. Os merecedores são fazedores, são proativos, não esperam circunstâncias favoráveis porque eles fazem a circunstância se tornar favorável. Não esperam ninguém e por isso são notícia. Jesus foi o maior exemplo de proatividade que tivemos. Ninguém contestou mais regras do que ele, colocou em xeque todas as regras sociais vigentes, andando na companhia de gente sem status, pessoas simples, prostitutas, pescadores, ladrões, doentes, estabelecendo um critério novo: o critério do valor pessoal e não valor temporal. Jesus tirou intermediários e devolveu ao povo o poder pessoal sobre sua vida e sua saúde. “A tua fé te curou”. “Brilhe a tua luz”. Jesus falava no tempo verbal imperativo e não esperou ninguém, simplesmente fez e seguiu.

Diário – A lei do merecimento está ligada a qual ou quais leis?
Márcia – À lei da igualdade. Todos somos iguais perante Deus, porém alguns se destacam, aproveitam as experiências a que são submetidos, desenvolvem mais aptidões, empregam boa vontade, fazem escolhas mais acertadas (livre-arbítrio) e gozam então do merecimento que obtiveram com sua atitude, com sua ação.

Diário – Qual é a relação de Deus e o merecimento?
Márcia – Deus é justo e misericordioso. Oferece todas as condições a todos e reconhece quando alguém se destaca. Estamos aqui falando de direito aquirido e isso é pessoal e intransferível. O que você conquista é seu por direito e você vai poder se beneficiar com isso ou usar esse direito em favor de alguém. Isso é uma conquista pessoal. É libertador pensar que esse sistema é justo e não pode ser corrompido.

Diário – O que acontece com aquelas pessoas que não aceitam o merecimento?
Márcia – Allan Kardec em “O Livro dos Espíritos”, estuda as leis naturais ou leis divinas que regem tudo o que há na vida. Essas leis, como o nome diz, de forma natural vão delineando nossa vida. Se a pessoa não se esforça para melhorar, a vida vai seguindo o seu curso, sem prejuízo. O que ocorre é que quando colocamos esforço em sermos melhores, ganhamos tempo, apressamos nossa evolução porque aproveitamos melhor as oportunidades para crescimento pessoal e nos tornamos merecedores, desenvolvemos aptidões e atraímos situações mediante esse merecimento adquirido. Fica melhor para quem faz.

Diário – Como as pessoas podem aceitar?
Márcia – É uma questão de amadurecimento espiritual. Existem adultos com atitudes espirituais infantis. Agem com a vida como se estivessem dentro de um enorme parque de diversões, despreocupados, sorvendo tudo o que podem sem se preocupar se haverá amanhã. Estão passando pela vida, sem atinar que necessitam ter um propósito de vida, uma missão. Muitos morrem sem saber porque viveram, perdem a existência; sua vida não tem um fim útil, e, infelizmente, ao morrer não fazem falta. Passaram pela vida e não contribuiram nem para si mesmos. É uma pena.

Diário – É correto dizer que: “Somos aquilo que acreditamos ser? Aprendamos a agradecer por tudo o que temos, pois temos o que merecemos”?
Márcia – A única atividade do espírito é o pensar. Por isso, ao pensar, construímos situações. A vida na terra é fruto da atitude de Deus e desde então somos co-criadores nesse processo de evolução iniciado por Ele.Tudo o que existe no mundo foi pensado um dia e a todo momento interferimos nos acontecimentos da vida através de nossos pensamentos. Temos o que merecemos é no sentido de que temos o que buscamos, temos o que obtemos com nossos pensamentos, palavras e ações.

Diário – Para o homem que não está satisfeito com o que tem é preciso tornar-se então merecedor e decretar direito a esse merecimento? A reforma íntima exige esforço e perseverança?
Márcia – Reforma tem um começo, meio e fim e nós estamos longe de ser um produto acabado, pronto, perfeito. Então vamos falar em transformação íntima, que tem um começo e vai se aperfeiçoando cada vez mais. Somos seres perfectíveis e esse é o nosso compromisso diário, ser hoje, melhor que ontem e, amanhã, melhor que hoje. Nosso maior desafio é sair do comodismo de esperar que Deus, o governo, o médium, o pastor, o padre façam aquilo que cabe a nós fazer: autoconhecimento e autotransformação refletindo em uma melhor atitude como espírito, pessoa, cidadão.

Diário – Viver bem é uma questão de escolha?
Márcia – Deus já fez a parte dele quando nos gerou simples em aquisições morais e ignorantes em aquisições intelectuais, com as mesmas condições e oportunidades iguais. Nos fez não perfeitos, mas perfectíveis. E essa é a parte que nos cabe, usar nossa capacidade física, mental e espiritual para nos tornarmos seres mais evoluídos enquanto estamos na Terra e espíritos iluminados quando deixarmos essa existência. Cabe a nós e não à sorte, ganhar essa existência. Eu escolho ser feliz e você?

Fonte: http://www.diarioweb.com.br/noticias/corpo_noticia.asp?IdCategoria=4&IdNoticia=126650

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*