De volta pra Casa


Tudo começou de repente
Não me lembro quando foi
Cheguei sem saber de onde vim
Tudo era novo
Dependia sem saber de quem
E aos poucos meu mundo foi nascendo
Aos poucos, a luz do sol…
A cada dia algo novo
Tudo era tão simples
Nem vi o tempo passar
Nem percebi quando virei eu
Quando as cores mudaram
E os sonhos já não eram os mesmos
Novos desafios no tempo que voava sem dar explicações
Sem que eu soubesse a razão
Sem ouvir as batidas das suas asas
Sem notar quando as coisas mudaram tão rapidamente
Deixando de me reconhecer
Como se agora fosse outra pessoa
Mudei sem perceber
Me transformando todos os dias
Sem ver o tempo passar, pois só posso enxergar um dia depois do outro
Virei outra pessoa
Perdida no tempo que me enganou
Me transformou,me conduziu
Me deu, me tirou…
E me deixou sem chão sem saber porque
Com a sensação de estar fora de casa
Como se tudo tivesse sido um sonho que estranhamente nunca vai acabar
Talvez eu só perceba em partes, que estou indo a algum lugar
E que tudo é uma coisa só
Que todos os dias são um
Que tudo faz sentido
E que todas as coisas só existiram dentro de mim
E me conduziram todos os dias
De volta pra casa

Autor: Flavio Siqueira
De volta pra casa. (Novo video)
 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*