A Cesta


Oi Deus, como estais?…

Escrevo para lhe saudar e porque agora sim preciso me abastecer, pois a "cesta básica" com a qual me enviaste ao mundo foi se esgotando no decorrer destes anos…

Por exemplo: a paciência acabou por completo, do mesmo modo que a prudência e a tolerância.
E me restam pouquinhas esperanças e o vidrinho da fé estão também vazio.
A imaginação também anda escassa por estas bandas.
Também é bom que saiba que há coisas da cesta que já não preciso, tais como a dependência e essa tremenda facilidade para chorar a toa, que tantos problemas me ocasionaram.

Assim desejaria lhe pedir novos produtos para a cesta… Inicialmente gostaria que enchesse os frascos da paciência e da tolerância (mas até a borda!), e que me enviasse, por favor, o curso intensivo "Como ser mais prudente", volumes 1, 2 e 3.
Envie-me também várias bolsas grandes, mas "bolsas grandes" de maturidade que tanta falta me faz. T
ambém desejaria um cesto de sorrisos, desses que alegram o dia de qualquer pessoa.
Peço-lhe que me envie duas grandes e pesadas pedras para amarrá-las nos meus pés e assim tê-los sempre sobre a terra.
Se tiver por aí guardada uma bússola para me orientar a fazer o caminho correto, lhe agradeceria muito que a enviasse para mim.
Presenteie-me imaginação outra vez; mas não de mais, porque devo lhe confessar que em algumas ocasiões usei de grandes quantidades e me fartei.
Novas ilusões e uma dupla porção de fé e de esperança também seriam excelentes.

Peço-lhe também uma paleta de cores para pintar minha vida quando a perceber cinza e escura.
Ser-me-ia de grande utilidade uma cesta de lixo para jogar toda a sujeira que tanto me incomoda.
Por favor, envie-me um vidrinho de mertiolate e uma caixinha de Band-aid para sanar meu coração, porque ultimamente tenho escorregado bastante e me arranhado com frequência.

Peço-lhe uns CDs, porque tenho o cérebro cheio de informações e preciso de espaço para armazenar mais.
Também lhe peço muitas cenouras, para ter boa visão e não deixar passar as oportunidades sem percebê-las.
Preciso também um relógio grande, enorme, para que cada vez que o veja me lembre que o tempo corre e não posso desperdiçá-lo.
Poderia enviar-me muitíssima força e segurança em mim mesmo, pois sei que vou necessitá-las para suportar os tempos difíceis e para me levantar sempre que cair. T

ambém desejo uma caixa de pastilhas que façam crescer a força de vontade e o empenho, para que viva bem a vida, e peço-lhe umas três ou quatro toneladas de “vontade de viver", para realizar meus sonhos.
Preciso também duma caneta com muita tinta, para escrever todas minhas vitórias e meus fracassos.

Mas, sobretudo, peço que me conceda muita vida, para realizar tudo que tenho na mente e para que no dia que me vá convosco, tenha alguma coisa para lhe levar e possa ver que não perdi o tempo aqui na terra.

Desde já lhe agradeço o que me possa mandar e também agradeço, muito mais, tudo o que me mandou a primeira vez.

Com muito carinho. Eu.

Autor Desconhecido
 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*